Please reload

Recent Posts

A primavera está quase a chegar... Novidades Unopiù 2017

February 19, 2017

1/10
Please reload

Featured Posts

EXPOSIÇÃO DE HOMENAGEM À CADEIRA PORTUGUESA | PARA VER ATÉ 31 JANEIRO DE 2016 | CASA DE SANTA MARIA, CASCAIS

November 26, 2015

A DIMENSÃO NOVA, CÂMARA MUNICIPAL DE CASCAIS, FUNDAÇÃO D. LUÍS I  com o apoio ADICO, inauguraram no passado dia 24 deOutubro a exposição de Homenagem à Cadeira Portuguesa em Cascais, na Casa de Santa Maria.

 

A inauguração contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Cascais, Dr. Carlos Carreiras, o comissário da exposição, António Roquette Ferro e do diretor da exposição, Nuno Ladeiro.

A mostra teve o apoio  do Curso de Design da Universidade Lusófona e da Loft Design.

40 autores nacionais metamorfosearam a Cadeira Portuguesa, entre outos, os artistas  José de Guimarães, Leonel Moura, Sofia Areal, os arquitetos Álvaro Siza Vieira, Fernando Hipólito, Cristina Santos Silva, os designers Jorge Silva, Helena Ladeiro, Filipe Trigo e Jorge Carvalho, apresentaram novas ideias para a emblemática cadeira e deram-lhe uma nova vida, mais portuguesa.

No âmbito da exposição, realizou-se, com o apoio da prestigiada escola internacional de design Domus Academy, um colóquio onde foi lançado o desafio aos estudantes finalistas de design, para realizarem o redesign da cadeira portuguesa. O colóquio contou com a presença do professor José Bartolo, vice-presidente do Ano Nacional de Design, Maria do Carmo Rebello de Andrade, coordenadora da Casa de Santa Maria, Miguel Rodrigues, administrador da Adico e Walter Colico, Designer italiano e proprietário da firma Colico.

 

Conferência de Walter Colico (CEO da Colico)

 

Conferência de Maria do Carmo Rebello de Andrade sobre a vida e obra de Raul Lino, coordenadora da Casa de Santa Maria

Conferência de José Bartolo, vice-presidente do ano nacional do design, sobre a identidade do design português

 

A cadeira portuguesa, a mais característica cadeira das esplanadas portuguesas, desde sempre foi palco de tertúlias entre intelectuais que trocaram opiniões e conviveram sentados nesta cadeira.

Os turistas, por sua vez, procuram hoje em dia pontos de interesse e encontram nas esplanadas portuguesas e, em particular, nos cafés lisboetas o ambiente tipicamente lusitano. As primeiras cadeiras terão surgido em Lisboa nos anos 30 e 40 do século XX. Influenciada provavelmente pela escola alemã Bauhaus, mas também pelas cadeiras de tubo de aço curvado de alguns dos pioneiros do design, como Marcel Breuer, Mies van der Rohe e Mart Stam editadas pela Thonet, a fábrica Adico, uma das maiores empresas de mobiliário metálico europeu, desde os anos 30 até aos dias de hoje, produz a cadeira.

A Cadeira é parte de uma vasta coleção de clássicos que fizeram história ao longo dos anos e nunca perderam a dinâmica dos novos tempos, pois souberam acompanhar a evolução do mercado e continuam na moda.

 

Este ano estará disponível uma nova versão da cadeira portuguesa editada pela marca Colico, em tubo curvado de polipropileno injetado (tecnologia Air Molding) com design de Nuno Ladeiro. O novo modelo, mais leve, reinterpreta o desenho original e está em exposição também na Casa de Santa Maria em Cascais.

 

Zona de ingresso na exposição. Cadeira da autoria de Amadeo Mandolesi do gabinete XYZ Associados. Título da obra: Onda após Onda.

 

Em primeiro plano, a cadeira de Alvaro Siza ("Portuguesa" Suave), depois as cadeiras de Ana Rita Soares / André Mata (Maria Lisboa) e Anahory Almeida (Lausa).

 

Cadeira metamorfoseada pelos irmãos Ana e Pedro Seiça Ramos intitulada "Areia".

Da esquerda para a direita, as cadeiras de António Cruz Rodrigues (Trifólio), Carlos Ribeiro (Bastardus Sella), Cátia Alves / Paula Moreira / Jaymar Delgado / João Fernandes / Luís Soares da Best of Living (Mordoma). Na fila posterior, da direita para a esquerda as cadeiras de Carla Rocha (Guitarra Portuguesa), Carlos Pinto Velosa / Fernando Pires / Sara Stella do Espaço A3 (Vestida para sentar) e Catarina Castel-Branco (Por dentro da paisagem).

 

Sala da capela da Casa de Santa Maria. Exposição de diferentes modelos históricos editados pela Adico.

Salão Nobre da Casa de Santa Maria em cascais. Da esquerda para a direita, cadeiras dos autores Cristina Santos Silva (À sombra da bananeira), Diana Queiroz, Maria Correia e Norberto Silva (Uma casa portuguesa conserteza), Elsa Matias (Denim), Fernando Hipólito (Word chair), Fernando Moreira da Silva (Impressão identitária), Filipa Lacerda (Jardim), Filipe Trigo (Less is more), Gisela de Almeida (Trama da vida da cadeira portuguesa), Gustavo de Brito (Azulejo), Helena Ladeiro (Coração flamejante), Inês Cortesão (Fóssil), João azevedo, Paulo Street, Hugo Guerreiro (Cadeira desmontável), João Freire (Cadeira móvel), João Santos Silva (Não há bela sem senão), Jorge Carvalho (Dalmata), Jorge Silva (Cadeira silva), José Bartolo (Portuguesa), José de Guimarães (Ritual das serpentes), Leonel Moura (Impossibilidade), Leonor Romba e Mariana Romba (Cadeira filigrana), Nini Andrade da Silva (Garouta de calhau), Noémia Palmer e Mónica Braga (Calçada portuguesa), Paula Varella Cid (Interior exterior), Ricardo Tralhão (La cabra), André Albuquerque (Conversadeira), Rui Luiz (Lisboa), Sofia Areal (D noite D dia) e Teresa Leónidas (Cadeira lusa).

Cadeira da autoria do pintor José de Guimarães  intitulada "Ritual das serpentes".

 

Da esquerda para a direita as cadeiras da autoria de Inês Cortesão (Fóssil), Helena Ladeiro (Coração flamejante), Gustavo de Brito (Azulejo) e Gisela de Almeida (Trama da vida da cadeira portuguesa).

 

Da esquerda para a direita as cadeiras dos autores João Santos Silva (Não há bela sem senão), Jorge Silva (Cadeira silva) e José Bartolo (Portuguesa).

 

Cadeiras da autoria de Nini Andrade da Silva intituladas "Garouta de calhau".

 

 

Please reload

Please reload

Archive
arquitetura e Design